domingo, 21 de junho de 2009

VERA CRUZ - 61 ANOS


No dia 19 de junho de 1948, no próspero Bairro São Benedito, era inaugurado o Cine Vera Cruz, empreendimento da Companhia Cinematográfica São Luiz, proprietária dos cines: São Luiz, Metrópole e Royal e presidida, na época, por Orlando Rodrigues da Cunha, A Construção ficou a cargo dos Engenheiros James de Barros e Nicácio Pedro Gonçalves Vidal.

O filme, em sistema tecnocolor (alta tecnologia para aqueles tempos), exibido naquela sexta-feira, marco inicial das atividades do Vera Cruz, foi “Festa Brava”, estrelado por Esther Willians e Ricardo Montalban. Na década de 1950, a sala foi a pioneira dos cinemas uberabenses a utilizar o recurso Cinemascope: tela de exibição em tamanho maior e aparelhagem sonora mais potente.
Desde 1981, transformado em Cine Teatro Vera Cruz, exibe, em seu palco, peças teatrais, espetáculos de dança e shows com artistas locais e de renome nacional.

No final da década de 1990, surgem salas de projeção mais modernas e bem equipadas, instaladas em shoppings onde há uma variedade de opções concentradas no mesmo local, facilidade de acesso e mais segurança. Esse fator, somado à popularização das TV´s por assinatura, levaram as grandes salas de exibição à decadência. Com o Vera não foi diferente!

Em 2006, o pioneiro em tecnologia cinematográfica da cidade foi tombado pelo Conselho do Patrimônio Histórico e Artístico de Uberaba (CONPHAU). Em julho do mesmo ano, adquirido pela Prefeitura Municipal, foi reformado e reabilitado como bem cultural. No dia 14 de dezembro de 2007, foi entregue a população, com o novo nome de “Cine Teatro Municipal Vera Cruz”. Nesses quase dois anos, vários eventos de diversas tendências culturais foram realizados no local e promoveram, junto à população, o acesso à cultura.

O imponente prédio, marco de uma época de ascendência cultural, é um dos cartões postais da cidade.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Doação de acervo para o APU

Postais: acima - Praça Rui Barbosa e Rua Artur Machado












Postal: Praça da Estação Ferroviária

Início do Calçadão da Rua Artur Machado.
A senhora Wilma Rossi, bisneta do imigrante italiano, o comerciante Bernardo Rossi, moradora do Bairro São Benedito doou ao Arquivo postais e um exemplar da Revista "O Cruzeiro" de novembro de 1972, que traz notícias sobre a cidade de Uberaba. O título da matéria é "Futuro diz presente no Triângulo Mineiro" que apresenta fotos coloridas da cidade, obras recém-inauguradas no Municipio, como a Estação Rodoviária, o Estádio Uberabão, Asfaltamento da Av. Fidélis Reis, aumento da capacidade da distribuição de água pelo Codau, e também foto do complexo da antiga Fiube, hoje Uniube Câmpus Aeroporto e da TV Uberaba, que também foi inaugurada em 72.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

UBERABA E O PODER LEGISLATIVO - 1837 AOS DIAS ATUAIS

Filho de Raymundo Joaquim Bekmann Vieira da Silva e Maria Etelvina Sampaio. Nasceu em 1896 em Fortaleza-CE. Formou-se em Medicina no Rio de Janeiro em 1917 e veio clinicar em Uberaba, morando no Hotel do Comércio. Escreveu no Lavoura e Comércio a seção “Consultório Médico”.Teve quatro filhos, três do primeiro casamento com Maria Carmem Ferreira e um com Maria Junqueira Teixeira. Organizou em seu consultório um posto de vacinação gratuita contra a varíola. Foi também deputado estadual e federal e um dos fundadores da Sociedade de Medicina do Triângulo Mineiro, mantenedora da UFTM, da Sociedade Rural do Triângulo Mineiro e da Academia de Letras do Triângulo Mineiro.

Em 1920, é instalado, na cidade, o Orfanato Santo Eduardo.

Foi vereador em duas legislaturas e como Agente Executivo:
- construiu o Mercado, inaugurado em 1924.
- calçou as ruas.
- concebeu um arrojado plano de desenvolvimento urbano.
- encomendou a Reis Júnior a obra “Retirada da Laguna” que hoje integra o Dicionário das Artes Plásticas Brasileira, de Roberto Pontual.
- criou escola para filhos de operários.
- trouxe para Uberaba a sede dos Correios, situada à Praça Henrique Krügger.

Morreu em 1974, em Uberaba.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

HISTÓRIA DE VIDA - ESCOLA E. JOÃO PINHEIRO

A E.E. João Pinheiro participa do Projeto “Cultivando a cidadania”, parceria do APU com o Instituto Agronelli. Os alunos e os professores estão pesquisando e selecionarão material para a história da escola e do bairro.

Foi realizada uma oficina com os alunos da 7ª série (8° ano), e eles escreveram, junto à Professora Kátia Ferreira, de Língua Portuguesa, a autobiografia. Os trabalhos ficaram excelentes.




Parabéns a toda equipe da Escola Estadual João Pinheiro: diretora, vice, profª de Geografia, de História e de Língua Portuguesa.